top of page

Histórico da fundação da Casa Transitória de Pindamonhangaba

De 1970 à dezembro de 1976, o Sr. Carlos Eduardo de Mesquita trabalhou como voluntário na Casa Transitória Fabiano de Cristo de São Paulo.

Durante sete anos, vivenciou todo o trabalho lá desenvolvido, mantendo uma estreita relação de amizade com o Sr. José Gonçalves Pereira, idealizador e fundador da instituição.

No segundo semestre de 1976, através da vidência, o Sr. Carlos Eduardo de Mesquita é informado pelo Espírito de Meimei, e confirmado pelo Espírito de Batuíra, através da mediunidade do Sr. Gonçalves, que o Plano Espiritual tinha autorizado a sua vinda para o Vale do Paraíba, onde a Obra iria expandir a Doutrina Espírita na região.

Em 22 de maio de 1977, uma tarde de domingo, onde todas as Casas Espíritas, e espíritas da cidade se fizeram presentes, Carlos Eduardo de Mesquita funda a Casa Transitória de Pindamonhangaba.

A Casa Transitória de Pindamonhangaba é, portanto, uma extensão do coração dos fundadores da Casa Transitória “Fabiano de Cristo” de São Paulo, o casal Sr. José Gonçalves Pereira e sua dileta esposa Sra. Luiza Pereira.

Breve relato da tarde de 22 de maio de 1977

Era uma tarde de domingo, um dia muito claro, de um céu muito azul.

A reunião estava marcada para as 16 horas.

Antes, porém, vamos lembrar os fatos que antecederam esta significativa data:

Desde agosto de 1976, quando aos finais de semana vínhamos a Pindamonhangaba, encontrávamos com o querido amigo Júlio Cabral, em sua residência e de sua esposa Cida Cabral, onde passávamos horas falando sobre os trabalhos da Casa Transitória de São Paulo, no amparo às mães gestantes carentes, desde o ventre materno, e a positiva repercussão deste trabalho na diminuição dos casos de abortos e natimortos.

À época, Júlio Cabral era Presidente do Centro Espírita Melo Morais, que nos apoiou em todas as nossas iniciativas

Voltando aos idos de 22 de maio de 1977.

...Era uma tarde de domingo um dia muito claro, de um céu muito azul.

A reunião estava marcada para as 16 horas.

A grande maioria dos espíritas de nossa Pindamonhangaba e os dirigentes das Casas Espíritas lá estavam presentes.

O pequeno salão do Centro Espírita estava totalmente tomado, com algumas pessoas em pé.

Após a prece inicial, proferida pelo nosso querido Júlio Cabral, a palavra foi a mim passada, e envolvido pelo querido amigo Batuíra, pudemos expor em todos os seus aspectos a Obra Assistencial, ora fundada, cuja base era o de amparar a Reencarnação desde o ventre materno.

Durante mais de uma hora de exposição, os olhares de todos eram de apoio e encorajamento.

A exposição caminhava tão plena e de tamanho interesse de todos que, com certeza, ali estava sendo uma reprise da que antecedeu a esta, na Espiritualidade.

Neste dia, fizemos questão de lembrar o nosso Chico Xavier, que se emocionava, até as lágrimas, todas as vezes que a Dona Ligia, Orientadora Maternal da Casa Transitória de São Paulo, levava até Ele o resultado do trabalho de Amparo às Mães Gestantes.

Ao final, sem exceção, aqueles queridos corações ali presentes nos encorajavam para a Obra Nascente.

Faço questão de lembrar de Dona Benedita San Martin, diretora, à época, do Lar da Criança Irmã Julia, que abraçando-me com grande carinho me disse:

 "A luta será grande, as dificuldades poderão parecer intransponíveis, mas você vencerá".

Fundava-se a Casa Transitória de Pindamonhangaba, sob as bençãos de Jesus!

Alguns dos nomes presentes:

Julio Cabral, Benedita Cabral San Martin, Maria Aparecida Cabral, Ignez San Martin de Abreu, Elizabeth Ferreira Santos, Waldomiro Marcondes, Major Silva Lima, Francisco Carvalho, Anibal Leite de Abreu, José Maria Raposo, Luzia Bettoni Moreira, Aderbal Ribeiro Avila, Elza San Martin, Neide Guedes, Jairo Simões Machado, Nazareth Tavares, Vitória Silva Lima, Dr. Waldomiro Benedito de Abreu, Vicente Passos Marcondes, Mario Leiroz, Reynaldo Silva Lima, Orlando Pires, Orminda Pires, Orlanda Pires, Amelia Lourdes Avila, Mario Amadei, Cyniro de Carvalho, Helena San Martin, Afro Monteiro, Demétrio Cabral, Dona Wolfanga Cabral, Demétrio Cabral Junior, Walter José Picca, Dagmar Cabral Vilela.

bottom of page